segunda-feira, 19 de março de 2012

O Início da Tolerância


Alguém diz que o real é a razão da vida, e que o caminho do meio é o caminho da realização da consciência. Outro alguém afirma que as ilusões são estímulos para que vivamos o nosso dia, para que sintamos  vontade de viver.

Alguém diz, que mesmo segurando nas mãos de Jesus, é preciso se apegar àquelas ilusões e sonhos da vida, para que a vida possa ser menos penosa, ou até mesmo mais colorida, bonita...

Alguém diz, que mesmo caminhando no justo caminho, ou caminho do meio ou caminho da retidão, dificilmente escapamos da fascinação que a ilusão gera cobrindo com seu manto aromático as nossas cabeças... Que mesmo seguindo os ensinamentos deixados pelo Buda Gautama, é terrivelmente difícil lidar com a vida e os impactos que sentimos...

Alguém fala de Devas Santos, Maomé, Paramahatma... Algum Guru, talvez... O que fazer? Em quem acreditar? Seguir Kardec, Jesus, Buda e outros ao mesmo tempo?

Focar no Real ou no Ilusório? Ter dúvidas ou certezas? Um pouco de sonho e um pouco de realidade, talvez?

Precisamos de fidelidade (derivada do latim ‘fides’, fé) a nós mesmos; ao Deus que há em nós. Precisamos saber ouvir nossos corações... Ultrapassando as densas camadas de preconceitos e idéias emprestadas ao longo da vida (conhecimento bruto, não experienciado, que condiciona boa parte de nossas escolhas e ações)... e atingir o cerne de nossa vocação no exato momento da pergunta:  "Qual meu foco?".

Autenticidade, pois não há certo ou errado na fidelidade ao seu Sentir. Há ordem quando se é fiel ao Sentir.

  • Quer utilizar de sonhos e projeções para se nortear? É o que lhe oferece bases consistentes? Justíssimo.
  • Quer discernir o real do ilusório e ficar com o real e isso dá bases consistentes e te realiza? Justíssimo.
  • Quer ser o terceiro aspecto do discernimento do real e do ilusório, e realizar em si o caminho do meio? Isso estrutura suas bases?  Sua realização se revela por aí? Justíssimo.

Jesus, Buda, Krishna, Maomé, Tao, GADU, Isis, A Deusa? Cristianismo, Espiritismo, Budismo, Ocultismo? O que toca seu coração e faz com que você se sinta amparada, amparado? O que se revela como delicioso e sagrado acolhimento para você? Eis a mais fantástica escolha.

E a do outro, que é diferente? É a escolha mais fantástica para o outro.

Acima de tudo e todas as coisas, somos seres humanos, digamos, e temos uma relação essencial de interdependência – precisamos uns dos outros – e unidos somos uma força fabulosa. 

Quem está certo? Quem está errado? Qual a melhor crença? Em que acreditar?

Se quiser ouvir seu amigo, eu digo: “Siga o seu Sentir com fidelidade, e aceite com compaixão e generosidade    que o próximo siga, igualmente, o Sentir dele”.

Abraço,
Do Amigo, Lucius Augustus

(PS: Precisamos mais de seres humanos tolerantes e compassivos do que opiniões e diferenças impostas)

10 comentários :

  1. Respostas
    1. Alma amiga, obrigado por caminhar comigo por essas linhas! Fantástica é sua percepção, que dá sentido ao texto conforme sua utilidade.

      Um super abraço,

      Lucius Augustus

      Excluir
  2. maravilhoso!!!otima reflexão,abraços fraternos namastê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nadia cristina vasconcelos21 de março de 2012 18:53

      olha tudo que foi dito, acho muito justo e correto, porem ainda nao sei como procurar o caminho do meio. qto a tolerancia, meu Deus,nao sei se vcs moracem na minha casa, com minha familia, se vcs achariam tao simples falar em tolerancia....lindo mas na pratica para mim ainda e muito dificil......namaste....

      Excluir
    2. Estrela Azul, de luminosidade impar... obrigado por abrilhantar com sua presença esse blog. Obrigado por sua amizade e carinho.

      Obrigado por me permitir fazer parte de suas percepções.

      Abraço fraterno,

      Lucius Augustus

      Namastê

      Excluir
    3. Olá Nadia!

      Sua participação e comentário são muito bem vindos e estimados, obrigado!

      O caminho do meio, Nadia, esta em você. Você É o caminho do meio. Você realiza o caminho do meio à medida que vive, em cada experiência sua, a compreensão do que está (transitório), do que É (Existência). Chama-se discernimento.

      O caminho do meio é a justa medida, a retidão, o discernimento e a compreensão dos opostos. É o terceiro aspecto entre opostos. Só vivendo e aprendendo em cada relação com fatos, pessoas, enfim, o mundo que a rodeia, que você realiza o caminho do meio - Realiza o Ser.

      Se esse assunto for interessante a você; se você se identificou com a explicação que postei aqui, escreva p/ mim por e-mail, para que conversemos mais sobre a realização do Ser.

      Sobre sua família, morar em sua casa... hehehe... acredito que vc sente o quanto é difícil tolerar. Natural.

      Mas se você se sentir disposta a viver a tolerância, embora seja difícil, é realizável: é como um treinamento de academia. Você treina um novo modo de perceber, persiste, até que o velho modo de perceber ( que estimula a intolerância) dá lugar ao novo modo de perceber ( que estimula a tolerância).

      Se o post te inspirou, já fico muito satisfeito.

      Conte com este amigo.

      Abraço,

      Lucius Augustus, IN.

      Excluir
    4. Lindo e sensato, e o grande conforto é que mesmo não percorrendo sempre o caminho do meio por que muitas vezes ainda é difícil para nós seres humanos errante, mas sabemos que a misericordia de Deus é perfeita independente do caminho Ele sempre nos leva a evolução seja na dor ou no amor essa é a grande escolha. Um grande abraço que Deus ilumine cada vez mais

      Excluir
    5. Fran , Alma amiga, é um fato! Muitas e muitas vezes é difícil realizar o caminho do meio, por fascinação, por identificação, por hábito, enfim... é mesmo um grande desafio na maior parte do tempo. Boas notícias: é realizável como sabemos, e como você bem observou, "a misericórdia de Deus é perfeita... Ele sempre nos leva a evolução..."

      Obrigado por ampliar nosso alcance de visão e participar do nosso aprendizado. Vê que fantástico: juntos nós realizamos muito mais compreensão!!!

      Um afetuoso e gigantesco abraço, Deus nos ilumine!

      Excluir
  3. Concordo. Todavia, gera-se um problema social quando a fé do outro manda-o que tente me convencer que a minha é errada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mariano, tudo bem contigo?

      Obrigado por acompanhar o blog e por sua amizade.

      Pode ser relativamente desconfortável quando o outro tenta convencer-nos de que sua fé é a nossa solução para o problema causado por nossa fé. Crenças são relevantes e estruturam nossa relação com a realidade, e, por isso até, precisamos levar em conta o fator humano, antes de tudo. Sim ao que nos aproxima e une, não ao que nos afasta.

      Grande abraço,

      Lucius

      Excluir